Monday, April 09, 2007

ENTRE A DIFERENÇA EXISTE AMOR...

É tão bom saber que apesar dos enganos, que não foram poucos, que das tristezas que insistiam em ser muitas, do corpo que tentava não falar, não sentir, das frases que não saiam sem gaguejar e ficavam por si prezas no esquecimento, esquecimento continuo de puro orgulho e medo, ainda assim a base de tudo foi mais forte...

Muitas são às vezes que por bobagens, coisas do cotidiano, acabamos por prejudicar a nós e também aqueles que amamos. Sem peso , nem medida fazemos e depois nos arrependemos. Mas pra que isso? ”Pra que perder tempo desperdiçando emoções”?
Com isso a vida que já é curta, torna-se ainda mais breve, as pessoas que poderiam hoje estar bem, já não mais estão. E ainda por cima da uma baita ressaca moral, porque não tem nada que da mais preguiça e dor de cabeça do que arrependimento, de não ter vivido tal momento, de não ter falado, falado, falado... uma simples palavra pode fazer uma diferença enorme, pode saltar obstáculos, atravessar paredes, mudar e transportar mundos...
Por que o bicho homem é tão difícil de se compreender?
Por que temos que apanhar tanto pra crescer?
E em uma dessas ainda perder pra aprender? Vai saber...

Também acho que não nascemos um pro outro, que não estava escrito nas estrelas!!! Conheço tanta gente diferente e que nessa diferença se encontra e faz-se um par. Pode ser de amigos, pode ser de amantes. Mas o que importa é que mesmo nas diferenças ainda se encontre união...

NÃO TER SIDO FEITO PARA MIM, NÃO SIGNIFICA QUE NÃO EXISTA AQUI DENTRO...

AMO VOCÊ, OBRIGADA!

E essa foi feita pra você...

Legião Urbana - Monte Castelo

Ainda que eu falasse a língua dos homens.

E falasse a língua do anjos, sem amor eu nada seria.
É só o amor, é só o amor.
Que conhece o que é verdade.
O amor é bom, não quer o mal.
Não sente inveja ou se envaidece.
O amor é o fogo que arde sem se ver.
É ferida que dói e não se sente.
É um contentamento descontente.
É dor que desatina sem doer.
Ainda que eu falasse a língua dos homens.
E falasse a língua do anjos, sem amor eu nada seria.
É um não querer mais que bem querer.
É solitário andar por entre a gente
É um não contentar-se de contente.
É cuidar que se ganha em se perder.
É um estar-se preso por vontade.
É servir a quem vence, o vencedor;
É um ter com quem nos mata a lealdade.
Tão contrario a si é o mesmo amor.
Estou acordado e todos dormem todos dormem todos dormem.
Agora vejo em parte.
Mas então veremos face a face.
É só o amor, é só o amor.
Que conhece o que é verdade.
Ainda que eu falasse a língua dos homens.
E falasse a língua do anjos, sem amor eu nada seria...

1 Comments:

Anonymous sr henrique said...

amém.

2:36 PM  

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home